PESQUISAR

28/02/2014

Canção de Pedro - Banda Dom

Olá, amigos!

Postaremos hoje esta partitura que nos foi solicitada por e-mail!

Canção de Pedro - Banda Dom
Tom: Bb
https://www.dropbox.com/s/pdi79bean9uvgj6/Can%C3%A7%C3%A3o_de_Pedro.pdf?dl=0



25/02/2014

Quaresma



Por: Matheus H.

Amados irmãos em Cristo Jesus,
Paz e bem!
Hoje vamos refletir sobre a Quaresma, este tempo de 40 dias em que adentramos ao deserto com o Senhor.
A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) vem nos dizer que “cantar a Quaresma é, antes de tudo, cantar a dor que se sente pelo pecado do mundo, que, em todos os tempos e de tantas maneiras, crucifica os filhos de Deus e prolonga, assim, a Paixão de Cristo”.
http://portaldoleblon.com.br/wp-content/uploads/2013/02/Celebracoes-de-Quarta-feira-de-Cinzas.jpgNeste sentido, a Liturgia do tempo quaresmal é de uma riqueza muito profunda, quando bem celebrada e bem vivida em nossas comunidades, pelas equipes de liturgia e nós, músicos, em nossos corais, bandas e ministérios.
Embora a Liturgia dos anos A, B e C proponha-nos os mesmos Evangelhos nos dois primeiros domingos da Quaresma, o itinerário a ser percorrido é diferente, e neste ano A, somos convidados a viver a temática do Batismo.
Antes de refletirmos sobre a música na Quaresma, permitam-me, de maneira bem sucinta, discorrer sobre os Evangelhos nos cinco finais de semana.
No 1º Domingo o Senhor nos convida a adentrarmos ao deserto e lá vencermos as tentações. No 2º Domingo ouvimos o Pai dizer: “Eis meu Filho muito amado no qual eu pus todo o meu agrado”. É o domingo da Transfiguração. No 3º Domingo, estamos diante do poço de Sicar e da Samaritana, e com ela pedimos: “Senhor, dai-nos de beber”. No 4º Domingo contemplamos a cura do cego de nascença. No 5º Domingo somos convidados a ressuscitar com Lázaro para uma vida nova.
A Constituição Sacrosanctum Concilium nos diz, no nº. 112 que “a tradição musical da Igreja é um tesouro de inestimável valor, que excede todas as outras expressões de arte, sobretudo porque o canto sagrado, intimamente unido com o texto, constitui parte necessária ou integrante da Liturgia solene”, por isso que achei viável, antes de tudo, perpassarmos os olhos sobre o Evangelho de cada final de semana.
http://www.arquidiocesepb.org.br/uploads/imagensInternasNoticias/images/fevereiro2014/conversao.jpgAgora, munidos da Palavra de Deus podemos caminhar e tornar nosso repertório para a Quaresma ainda mais Mistagógico, ou seja, torná-lo ponte que nos leva ao Mistério celebrado, como continua a Constituição S.C. também no nº. 112: “A música sacra será tanto mais santa quanto mais intimamente unida estiver à ação litúrgica, quer como expressão delicada da oração, quer como fator de comunhão, quer como elemento de maior solenidade nas funções sagradas”.
As músicas utilizadas em nossas celebrações quaresmais devem ter um caráter sóbrio. Os instrumentos, neste tempo devem sustentar o canto, prevalecendo ainda mais o cantar da assembleia. Em alguns cursos que frequentei era-nos proposto utilizar somente o
órgão. Porém, penso que podemos utilizar todos os nossos instrumentos desde que não caiamos no pecado do exagero como muitos caem. Quaresma não é Páscoa, logo não podemos “fazer festa”, pois estamos em um retiro espiritual com o Senhor, já que Ele nos convidou no 1º Domingo a fazermos a experiência do deserto. A festa virá com a Ressurreição.
Omitimos o Glória até a Missa da Ceia do Senhor, quando celebramos a instituição do Sacramento da Ordem e da Eucaristia. O Aleluia voltará a ser cantado apenas no Sábado Santo, anunciando, assim, a Ressurreição do Senhor.
Nas celebrações quaresmais, optemos por rezar o Ato Penitencial e o Santo. Cultivemos, pelo menos na Quaresma, a prática do silêncio. Não cantemos nada após a Comunhão. Deixemos nossos corações em silêncio.
http://2.bp.blogspot.com/-XIFi3buBgb0/T0bPWr7j5oI/AAAAAAAAAPk/9IVUqlfDh7A/s1600/quaresma3.jpgAdélia Prado, grande poetisa brasileira, disse em uma entrevista que tem algumas celebrações que a gente sai da Igreja com vontade de procurar um lugar para rezar. Nós só podemos ouvir depois que nos calamos. E na Quaresma, o calar para ouvir é ainda mais forte. A atitude de silêncio deve prevalecer em nossas celebrações.
Que possamos viver este tempo litúrgico em profunda reflexão. Morramos para o pecado e, com Cristo, renasçamos para a vida nova.

22/02/2014

Mons. Marco Frisina

Olá, amigos!


Atendendo a algumas sugestões que recebi, postarei hoje todas as partituras do Mons. Marco Frisina que foram transcritas para o blog, e que já foram postadas.

Frisina é um dos compositores católicos que eu mais admiro. Nascido em Roma em 1954, hoje é presidente da Comissão Diocesana de Arte Sacra e Património Cultural, Consultor do Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização e reitor da Basílica de Santa Cecília em Trastevere. É fundador e dirigente do Coro da Diocese de Roma e vencedor de inúmeros prêmios.

A seguir, as partituras que já fizemos. Algumas são em italiano, mas a maioria foi adaptada para português.




Atualização - 05/03/2015
Temos gravaçõs de alguns cantos do Mons. Frisina em Português nessa Playlist:
https://www.youtube.com/playlist?list=PLuDKYwXblcOLEHmqyDDbHJ9okgxSFNMq8



Hostia Santa
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/vo4kki9y7yiog54/Hostia%20Santa%20-%20Marco%20frisina%20pt.pdf?dl=0

Jesus Christ, You are my life
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/ryzfs4u41py20ck/Jesus%20%20Chist%20you%20are%20my%20life.pdf?dl=0

La vera vite (em português) - Tu és o Cristo
Tom: G
https://www.dropbox.com/s/jn8u1nx62az73uj/la%20vera%20vite%20pt.pdf?dl=0

La vera vite (em italiano)
Tom: Ab
https://www.dropbox.com/s/778wywigxxy571o/la%20vera%20vite.pdf?dl=0

Onde a caridade é verdadeira
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/agevueyeg7buss6/Onde_a_caridade_%C3%A9_verdade.pdf?dl=0

Pane di vita nuova (em português)
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/16537sqgvff8e4s/Pane%20di%20vita%20nuova%20d.pdf?dl=0

Santo (em português)
https://www.dropbox.com/s/lr3g0bvnqgmgp0u/Santo%20marco%20frisina%20pt.pdf?dl=0

Stabat Mater dolorosa
Tom: Cm
https://www.dropbox.com/s/i18cn225h37r1bw/Stabat%20Mater%20-%20marco%20frisina.pdf?dl=0

Amicizia è volare
Tom: C
https://www.dropbox.com/s/dz9y9won53bcbem/Amicizia%20%C3%A8%20volare.pdf?dl=0

Ti Seguirò
Tom: C
https://www.dropbox.com/s/g54h7nse6uruksg/Ti%20seguir%C3%B2%20-%20Frisina.pdf?dl=0

Sono Risorto
Tom: A
https://www.dropbox.com/s/bbwoe66brcsu8g8/Sono%20risorto%20adap%20-%20Marco%20Frisina.pdf?dl=0

Provai e Vede
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/0uwjmd5nujgyb3a/Provai%20e%20vede%20-%20Frisina%20em%20D.pdf?dl=0

Te farei pescador de homens
Tom: Dm
https://www.dropbox.com/s/jjg97ixt1jmtvzg/Te_farei_pescador_de_homens.pdf?dl=0

 Nossa glória é a luz de Cristo
Tom: Am
https://www.dropbox.com/s/qovh2b3hv0v9duv/Nossa_Gl%C3%B3ria.pdf?dl=0

Laudato Si (em português)
Tom: C
https://www.dropbox.com/s/wxcmk4vx1spjioy/Laudato_si_il_mi_Signore.pdf?dl=0

Regna il Signore 
 Tom: Bb
https://www.dropbox.com/s/9cmxz95ylsssmnq/Regna%20il%20Signore%20-%20M.%20Frisina.pdf?dl=0
 
O Croce Fedele
Tom: Bb
https://www.dropbox.com/s/szk303c68nsflel/O%20Croce%20Fedele%20-%20Marco%20Frisina.pdf?dl=0

Kyrie (Signore vero corpo - adaptado Port.)
Tom: Eb
https://www.dropbox.com/s/p9q5eff86pym12i/Kyrie%20mons%20Frisina.pdf?dl=0

O Espírito do Senhor
Tom: A
https://www.dropbox.com/s/wp19lbzffs3o0zd/O%20Esp%C3%ADrito%20do%20Senhor.pdf?dl=0

Lo Spirito del Signore
Tom: A
https://www.dropbox.com/s/p3wxf0wr9xrvmfk/Lo%20Spirito%20del%20Signore%20.pdf?dl=0

Atualização - 21/08/2017 - partituras feitas pelo Josimar

Anima Christi
Tom: Bm
https://www.dropbox.com/s/souqiy6w5pnw7xt/Anima%20Christi%20%28Frisina%29.pdf?dl=0

Quem nos separará? 
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/unmhu8t4i0p81ga/Quem%20nos%20separar%C3%A1%20-%20Mons.%20Marco%20Frisina.pdf?dl=0

Tu serás profeta
Tom: D
https://www.dropbox.com/s/6ptsgb31482tli5/Tu%20ser%C3%A1s%20profeta%20%28Tu%20Sarai%20Profeta%20-%20Frisina%29.pdf?dl=0

Atualização - 29/01/2018 - Partituras enviadas pelo sr Plácido

Os céus proclamam
1 -  https://www.dropbox.com/s/9k002652027s2ss/Os%20C%C3%A9us%20Proclamam%20-%20Marco%20Frisina..pdf?dl=0
2 -  https://www.dropbox.com/s/suuc704ryu1kcbf/Os%20C%C3%A9us%20Proclamam%20-%20Marco%20Frisina.%20estrofes.pdf?dl=0

Bendiz o Senhor
1 - https://www.dropbox.com/s/0n9yb1utw4msycy/Bendiz%2C%20o%20Senhor.pdf?dl=0
2 - https://www.dropbox.com/s/xt6vs87ul2xyy99/Bendiz%2C%20o%20Senhor%20Estrofes.pdf?dl=0

Pedidos especiais do e-mail

Olá, amigos

Postarei mais duas partituras que foram pedidas por e-mail, mas como são um pouco diferentes do normal as deixarei nesse post à parte.
A primeira é uma música francesa, que a ir. Danka nos pediu, e a outra é a introdução em violino do Santo da comunidade Shalom.

Je vous aime ô mon Dieu
Tom: Em
http://files.spdpartituras.webnode.com/200000340-cf899d0840/Je%20vous%20aime%20%C3%B4%20mon%20Dieu.pdf

Santo - Comunidade Shalom - Introdução (CD Na dança da vida)
Tom: Em
http://files.spdpartituras.webnode.com/200000339-6c0a36df74/intro%20Santo%20Shalom.pdf

Para quem não tem a partitura do Santo acima, vou postar novamente:

Santo - Comunidade Shalom (CD Na dança da vida)
Tom: Em
http://files.spdpartituras.webnode.com/200000351-937989472c/Santo%20Shalom.pdf

19/02/2014

Ó Pão dos Anjos / Sangue de Cristo

Olá, amigos!

Postarei hoje mais duas adaptações feitas pelo Jefte Braz, de duas músicas polonesas.
Espero que gostem!


Ó Pão dos anjos (Z tej biednej ziemi)- Louis Lambillotte
Tom: C
https://www.dropbox.com/s/673regtrqfda3cq/%C3%93%20p%C3%A3o%20dos%20anjos.pdf?dl=0



Sangue de Cristo (O Krwi najdroższa)
Tom: Em
https://www.dropbox.com/s/1r0abrux9c533dd/Sangue%20de%20Cristo%20em.pdf?dl=0


08/02/2014

Vale tudo para trazer as pessoas à Igreja?

Por: Matheus H

Nós, músicos católicos, por vezes somos tentados a mudar o anúncio da Boa Nova de Jesus Cristo para conseguirmos trazer pessoas para a Igreja e suas celebrações.
Mas afinal de contas, vale tudo para trazer as pessoas à Igreja?
Encontrei este texto em um site, publiquei em meu blog Misterium Fidei, mas faço questão de publicar aqui também, para que possamos refletir sobre nossas atitudes enquanto ministros da Música e anunciadores do Evangelho cantado.

Por que às vezes somos tão “folclóricos” na hora de anunciar o Evangelho ou querer construir vida de Igreja? Talvez por medo de que, ao anunciar a Palavra de Deus, ela assuste tanto, que acabemos espantando ao invés de atrair as pessoas.
A metodologia utilizada, os novos recursos, a nova pedagogia, quando não são bem compreendidos, podem apagar a força e beleza do anúncio salvador. Por isso, quando pensamos em atividades eclesiais que incentivem a vida comunitária e de fé, podemos correr o risco de achar que o meio vale mais que o fim e que tudo é válido com tal de anunciar Jesus.
A pregação da verdade do Evangelho continua sendo necessária para o encontro com a Palavra do Senhor ressuscitado. Ainda que os recursos humanos sejam válidos, nem tudo é adequado na tentativa de levar o anúncio a todos. O perigo é que, ao invés de evangelizar o mundo, podemos acabar mundanizando o Evangelho.
Quando penso em um grupo ou movimento juvenil, sempre reconheço a ingenuidade que pode haver na hora de fazer coisas e inovar; em meio à euforia, tende-se a apagar a beleza de Jesus e ficar unicamente com a beleza dos atos realizados.
Quantos dos nossos jovens, membros desses grupos juvenis paroquiais, se confessam frequentemente, participam e recebem a Eucaristia? Quantos dos que já participaram desses grupos hoje são casados pela Igreja? Se a porcentagem é pequena, então precisamos nos perguntar se agimos da maneira certa. Porque os grupos paroquiais não existem somente para formar pessoas solidárias, e sim pessoas cristãs – e isso vai muito além de ser solidário.
Cada uma destas atividades que chamamos de “evangelizadoras” devem ter como centro a pessoa de Jesus. Não podemos ser ingênuos achando que tudo o que se faz na paróquia, por ser paroquial, leva a Jesus Cristo.
Não podemos ter medo de pregar, ensinar, transmitir a fé, apresentar aPalavra de Deus, que costuma ser uma “faca de dois gumes”, e é por isso que precisamos ser claros desde o começo. Não somos assistentes sociais nem simples filantropos, mas apóstolos do Evangelho; amamos em nome do Senhor e construímos a pessoa em todas as suas dimensões.
Quando uma pessoa se aproxima das nossas comunidades, ela precisa conhecer claramente esta proposta de vida nova, saber o que lhe é oferecido. Não podemos ter medo de orar, pensando que as pessoas acharão chato; nem deixar de ler a Palavra de Deus, pensando que não voltarão; nem deixar de convidá-las à vida sacramental, argumentando que isso deve ficar para depois.
O que oferecemos na Igreja é Jesus Cristo, o Senhor. Ele é o tesouro que compartilhamos; sua salvação é a proposta para os que querem acolhê-la, mas também uma nova forma de viver, de ver o mundo, de interpretá-lo e de viver a vida.
Não me oponho às atividades paroquiais, mas precisamos revisar se as estamos realizando de tal maneira que as pessoas se encontrem com Cristo por meio delas, ou que pelo menos saiam com paz no coração.
Divertir-nos, fazer amigos, tudo isso é fundamental na vida da Igreja, porque não vivemos uma vida chata e entediante. Mas quem nos vê deve reconhecer que nossa alegria é muito mais que a alegria do mundo, e que nossa fraternidade em nome próprio, que ela é fruto da nossa relação com Deus.
A vida da Igreja é construída sobre o alicerce da Palavra. É claro que as atividades de lazer, amizade e solidariedade são importantes e necessárias, mas a fé vai muito além de tudo isso e, por isso, não podemos ficar só nas atividades em si.
Cada dia, somos desafiados por Cristo a ter coragem, vencer o medo, mostrar com clareza a mensagem do Evangelho, mesmo correndo o risco de que muitos vão embora. Jesus nunca mudou a verdade do Evangelho para agradar os seus seguidores. Quando Ele precisava dizer as coisas, ele as dizia; e quando muitos se afastaram dele, Ele perguntou aos outros se também queriam ir embora. Ele preferiu correr o risco de ficar sozinho ao invés de fazer os ensinamentos do seu Pai perderem a força.
Nós somos o sal da terra. Estamos chamados a transformar o mundo, e não a deixar que o mundo nos transforme.